7 pecados capitais para evitar na empresa

Toda e qualquer empresa necessita ter um plano de ação que lhe permita estar sempre em alta no mercado, o que possibilita sua sobrevivência mediante um cenário que tanto se modifica sempre, que é o que o mercado hoje em dia oferece para os empresários. No entanto, existem formas de lidar com essa realidade sem que a empresa possa vir a sofrer grandes danos que façam com que ela perca a sua produtividade e diminuía sua captação de lucros, sendo a base disso: evitar os conhecidos como sete pecados capitais na empresa.

7 pecados capitais para evitar na empresa

Os sete pecados capitais para evitar na empresa correspondem a processos e métodos que são necessários, mas que muitas das vezes perdem a sua real credibilidade ou passam desapercebidos pela gestão e colaboradores, desmerecendo determinados processos e assim impactando de forma negativa sobre o crescimento e permanência com êxito da empresa no mercado.

Mas, para que seja possível evitar estes sete pecados capitais é necessário primeiro conhece-los, não é mesmo?! Sendo assim, preparamos um material especialmente para você que procura conhecer mais sobre o assunto e desenvolver um plano de ação empresarial focado em melhorias na sua organização, buscando sempre o seu crescimento e aprimoramento e produtos, processos e serviços. Quer saber tudo sobre? Então, vamos lá!

1. Erros na contabilidade

Erros na contabilidade

Um dos grandes erros, sendo considerado por muitos como um dos principais, também, são os erros de uma contabilidade malfeita. Com uma contabilidade bem feita é possível fazer um diagnóstico real de como a empresa está naquele momento, se bem ou mal, com projeções corretas e concretas, verificando a possibilidade de lucro no período atual e futuro. Entender de forma correta todos estes processos e como estão se dando à medida que o tempo passa é essencial para conseguir uma boa rentabilidade empresarial junto ao mercado, medindo sempre as entradas necessárias para geração de determinado lucro almejado em um período pré-estipulado e traçando métodos de como atingir esses objetivos e metas.

2. Preços nada rentáveis

Preços nada rentáveis

Nem sempre as empresas conseguem estipular preços de fato rentáveis sobre seus produtos e serviços, e assim diminuem a qualidade do que é oferecido.

Para precificar algum produto é preciso levar em consideração determinados dados, como o excedente, danos físicos, frete, risco de roubo, desgaste de máquinas, entre outros, sendo de extrema relevância observar tais fatores, uma vez que se tornam decisivos para estabelecer os preços dos produtos. Verifique ainda a demanda pelo produto, confirme como as demais empresas estão vendendo ele e trace promoções e descontos levando em consideração que mesmo assim ainda precisa lucrar o que foi metrificado anteriormente na área contábil.

3. Contratações mal feitas

Outro grande erro de muitas empresas é na hora de contratar funcionários, sendo um processo que influi de forma negativa e em larga escala sobre todas as atividades da empresa, que vão desde a relação entre funcionários com a própria empresa e atividades do cargo.

Contratações mal feitas

Para que se haja uma contratação eficiente é necessário aliar tempo e habilidade, verificar de fato o potencial de um profissional, conhecer seu passado profissional, medir experiências em empregos anteriores, conversar com antigos chefes e colegas de trabalho e fazer perguntas inteligentes e estrategicamente desenvolvidas para que elas possam revelar as reais qualidades e defeitos de cada candidato à vaga ofertada.

LEIA TAMBÉM:

4. Receio na demissão de funcionários

Receio na demissão de funcionários

Os líderes junto à gestão de pessoas devem deixar o pecado do receio na demissão de funcionários de lado.

Se determinado colaborar de fato não está colaborando para o crescimento e permanência da empresa no mercado, com um trabalho mal feito, pouca responsabilidade, baixa assiduidade, aumento dos conflitos entre profissionais, entre outros, ele é um fator de atenção, necessitando assim ser retirado do grupo para que as atividades possam fluir de forma normal e melhor possível.

5. Necessidade de um padrão

Uma empresa precisa ter um padrão a ser seguido, um plano de ação, uma medida estratégica junto ao mercado, se ela não tem é praticamente impossível que consiga se manter firme e medir corretamente seus esforços, que não devem ser focados apenas em lucro, mas sim ter uma meta empresarial definida que irá nortear cada atividade dentro da empresa. O padrão deve estar na área de controle de qualidade, atendimento ao consumidor e ainda imagem institucional da empresa.

6. Falta de controle sobre as falhas

Outro grande problema é a falta de controle sobre falhas, muitas das vezes característica de uma má gestão e funcionários pouco qualificados para o cargo em que se encontram. Se você mede corretamente as falhas, passa a informação de como agir para os funcionários e eles realizam corretamente aquele processo, as atividades fluem bem e como deveriam, se ocorrer uma falha na gestão ou nos funcionários o processo todo é comprometido, e se torna necessário modificar o pensamento ou ainda mexer estrategicamente em alguma das engrenagens da peça.

7. Imagem negativa da marca

Imagem negativa da marca

Por fim, e ainda muito importante, a empresa deve evitar a imagem negativa da marca, pois é isso que irá afastar ou atrair os clientes, quanto melhor a imagem da empresa na sociedade, maior será a sua valorização naquele meio. Os detalhes fazem toda a diferença, e vão desde o bom atendimento e limpeza do local até a conscientização dos colabores e empresa sobre questões sociais, sendo um universo bem amplo. Lembre-se: não adianta ter um bom marketing se a sua empresa não focar em ser de fato tudo o que propõe aos consumidores, é preciso não apenas dizer ser um diferencial, é necessário trabalhar por isso todos os dias!

Deixe um comentário